segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Entrega


Eis me aqui, de corpo, mente e alma
Esta sombra, agora se torna escuridão
Sinta este frio, sinta como tudo se torna
Não há meros momentos como este,
mas grande momentos

Repare nos detalhes, completo talvez
Caminhando neste vazio vejo não estar só
mas vejo também não estar acompanhado
Como há de ser, sempre só em multidões
sempre acompanhado sem elas

Me entrego a Vida, a magia ao amor
Amo como sempre desejei
Amo para ser eterno,
Como um guerreiro que jura lealdade,

Agora é calmo e tranqüilo,
sei que tudo irá mudar em breve,
mas agora está tranqüilo
Como deve ser em um lago
como deve ser com as brasas

Me entrego, pois habito meu corpo
habito minha mente
sou esta alma
Como diz a própria Bíblia Cristã:
"Sou o que Sou"

Beberei comerei de grandes mesas fartas
Cinzas e Sangue
este sortilégio é apenas o começo
Entre os toques gélidos
amor, poder e graça


Assim seja.

3 comentários:

Brennah Enolah disse...

Sozinho em multidões... é assim e sempre será. Há pessoas que mesmo acompanhadas sentem o aperto da solidão esmagando seu peito.

E nada vai mudar essa condição.

"O homem por sobre quem caiu a praga
Da tristeza do mundo, o homem que é triste,
Para todos os séculos existe
E nunca mais o seu pesar se apaga".

Belas palavras querido... profundo.

bjos até.

Anethe Catherine Manon disse...

Pois é meu querido, a vida é uma corrida onde os obstáculos quando surgem tem que ser ultrapassados em alta velocidade, cada curva é um risco, cada reta uma loucura...

Estou um pouco intensa esses dias não? rsrs acho que despertei minha consciência, estou acordando de um sono, estou reaprendendo a ser livre.

Fico feliz que tenha gostado, muito obrighada pelas visitas e pelos comentários!

Luca Souza disse...

Forte, intenso, profundo. Mais uma vez mandou super bem!

http://baufragmentado.blogspot.com/